Quinta-feira, 31 de março de 2016

 

Diário da Manhã – Coluna Fio Direto – Página 12

 

Negociação
O setor produtivo tem negociado com a secretária da Fazenda, Ana Carla Abrão, medidas para flexibilizarem as regras de tributação sobre soja e o milho. A legislação atual impõe um sistema de cotas que, segundo os produtores, restringiria as exportações.

https://impresso.dm.com.br/edicao/20160331/pagina/12

 

Impostos deseducativos – Opinião Pública - 18
É um absurdo que, impondo à sociedade uma das cargas tributárias mais elevadas do mundo, o Brasil tenha o segundo maior número absoluto de estudantes com baixo desempenho em matemática, ciências e leitura, num universo de 64 nações.

https://impresso.dm.com.br/edicao/20160331/pagina/18

 

 

O Popular – Economia – Página 12

 

FGTS poderá ser usado para dívidas
O Diário Oficial da União publicou ontem a medida provisória que permite aos trabalhadores do setor privado contratarem crédito consignado utilizando até 10% do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) como garantia e até 100% do valor da multa rescisória, no caso de dispensa sem justa causa.

http://www.opopular.com.br/?renderAsFlip=flip&date=20160331&caderno=O_POPULAR&edicaoAberta=false

 

 

Exame.com - Economia

 

BC reconhece inflação acima da meta em 2016 pela 1ª vez
Pela primeira vez, o Banco Central reconheceu que a inflação deste ano vai estourar o teto da meta estipulada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), de 6,5%. Segundo o Relatório Trimestral de Inflação (RTI), divulgado nesta quinta-feira, 31, o IPCA de 2016 ficará em 6,6%, e não mais em 6,2% como constava do documento de dezembro, pelo cenário de referência.

http://exame.abril.com.br/economia/noticias/bc-reconhece-estouro-da-meta-de-inflacao-em-2016-pela-primeira-vez

 

O Hoje – Economia – Coluna Foco Econômico – Página 11

 

Governo realiza apenas 0,4% do investimento previsto e consegue “poupar” R$ 836, 8 milhões
A virtual paralisia do Estado ganha números mais concretos com a divulgação do relatório resumido da gestão orçamentária relativo ao primeiro bimestre do ano. O que todos já intuíam a partir da observação empírica da realidade ao redor, os investimentos do governo estadual, pela ótica do orçamento, despencaram para meros R$ 14,187 milhões no acumulado dos primeiros dois meses, representando 0,4% da dotação atualizada para esta rubrica, em torno de R$ 3, 517 bilhões para os doze meses deste ano.

http://flip.ohoje.com/impresso/3428/3428.pdf