À classe contábil: Meu muito obrigado!


Valeu a pena. Este é o sentimento após um mês e meio à frente do Conselho Regional de Contabilidade de Goiás. Esse período na presidência em exercício me proporcionou acúmulo de novas experiências e troca de conhecimentos que serão disseminados durante toda a minha carreira contábil.

Representar uma classe tão pujante, como a Contabilidade, não é um desafio fácil. Requer critério, prioridade, profissionalismo e acima de tudo responsabilidade. O encargo ao conduzir a categoria contábil somente cresce à medida em que a profissão se desenvolve. Muitas são as demandas e reivindicações, sendo que a maioria delas são plausíveis e sensatas, valendo do presidente em exercício a dedicação para lidar com cada uma delas.

Uma boa coincidência une esse período em que presidi o CRCGO, no que me refiro à data do meu aniversário, comemorado no dia 16 de outubro, ocasião em que meu grande presente foi ter essa oportunidade de defender a profissão contábil de forma decisiva perante a sociedade. Não é fácil esse posto, mas é de absoluta estima e muito me orgulho ter feito parte dessa lista de contabilistas que lideraram o Conselho de Contabilidade por um determinado tempo.

Vale ressaltar a importância da liderança neste aspecto, uma vez que um líder não é feito somente para delegar responsabilidades, mas também para se envolver em todas as atividades juntamente com seus liderados, em busca de um resultado em comum: a valorização da classe contábil. O CRCGO sempre terá como meta tal valorização, independente de quem se assentar à cadeira presidencial. Por outro lado, pude constatar a importância de uma gestão ramificada, ou seja, que vem a atingir profissionais da Contabilidade em todas as regiões do Estado, pois é esse o nosso desafio.

Não basta apenas gerir de dentro do gabinete, sendo que para enxergar a necessidade do colega contabilista é imprescindível que saiamos de nossa zona de conforto, que visitemos os municípios goianos, dialoguemos com a classe contábil ali instalada, e por fim venhamos a ouvir os seus questionamentos, sugestões, críticas e elogios. Esta é a essência de uma gestão compartilhada, e neste caso o compartilhamento se dá com mais de 12 mil profissionais ativos em Goiás.

Durante esse período enquanto presidente do CRCGO, talvez não tenha sido possível ouvir a essas mais de 12 mil vozes, no entanto saio deste comando encorajado em dar continuidade ao trabalho firme e valoroso em prol dos colegas contabilistas e estudantes de Ciências Contábeis, na posição de vice-presidente Administrativo. A direção muda, todavia, o sentimento de gerar uma profissão cada vez mais forte diante da sociedade continuará como um dos nossos maiores objetivos de carreira. À disposição sempre, obrigado!